História das Tradições de Casamento no Brasil

Entenda a o significado das tradições mais comuns nas cerimônias brasileiras

O casamento, além de ser um evento lindo, mágico, em que conseguimos reunir familiares e amigos que amamos, também é uma celebração cheia de rituais e tradições – cada país tem a sua e, de uns tempo para cá, algumas tradições de outros países começaram a se fazer presentes por aqui. 

Jogar o buquê, o nome na barra do vestido, o noivo não poder ver a noiva antes da cerimônia são só algumas delas… Mas você sabe porque essas tradições existem?

VESTIDO BRANCO

No século XIX a rainha Vitória, além de ter pedido a mão do noivo em casamento, foi uma das primeiras mulheres da realeza a casar-se por amor e foi também a noiva que iniciou a tradição do vestido branco para a noiva. Seu vestido, feito em cetim, tornou-se símbolo de sofisticação, pureza e romantismo entre a nobreza da época. Já no século XX, várias estilistas adotaram esse padrão, para simbolizar a pureza da noiva em seu casamento. Desde então, o vestido branco é quase uma unanimidade entre as noivas ocidentais. 

Foto: arquivo digital

Foto: Fernanda Pompemayer

GRINALDA

A grinalda é usada para a noiva se diferenciar dos convidados e se parecer com um rainha. Curiosidade: quanto maior o status social, maior e mais imponente era a grinalda. Para as noivas românticas, as flores têm o mesmo papel.

Foto: Larissa Felsen

Foto: Larissa Felsen

BUQUÊ

A tradição de entrar com buquê começou na Grécia Antiga, porém eram feitos de ervas e alho, para dar proteção a noiva e atrair energias positivas. Já o buquê de flores como conhecemos hoje, foi introduzido na Era Vitoriana, a fim de demonstrar o amor que a noiva sentia por seu futuro marido. Já o lançamento do buquê, tem a ver com a noiva jogar um pouco da sua sorte para as convidadas e, aquela que consegue pegá-lo, será a próxima a casar.

VÉU

O véu também começou  a ser usado na Roma Antiga em homenagem à deusa Vesta, protetora do lar; também começou a ser utilizado para proteger a noiva dos olhares de cobiça masculinos e das mulheres solteiras.

Foto: Larissa Felsen

DAMAS DE HONRA

Na Idade Média, acreditava-se que a noiva deveria convidar amigas para vestirem-se iguais, a fim de confundir os espíritos que poderiam atrair o mau olhado. Essa tradição, muito presente nos Estados Unidos e Europa, tem atraído cada vez mais a atenção das noivas brasileiras.

GARTER

Muito usado nos casamentos americanos, começou a se tornar tradição por aqui há pouco tempo, o garter, uma tira que se assemelha a uma cinta-liga, usada em cada perna da noiva, é retirado pelo noivo da perna dela e jogado para os amigos: quem pegar é o último a casar.

NOIVO NÃO PODE VER A NOIVA

Essa tradição é muito antiga e não se sabe ao certo como começou. Antigamente os casamento eram arranjados, então o noivo só via a noiva na hora da cerimônia, e foi assim que começaram as superstições, que são seguidas até nos dias de hoje.

Isso se tornou um costume por conta do suspense e da magia que acontece quando o noivo avista a noiva entrando na cerimônia, fazendo esse momento ser único e inesquecível.

CHUVA DE ARROZ

Teve início na China, já que o arroz simboliza a prosperidade. Um mandarim encomendou uma chuva para saudar os noivos. Hoje, há quem prefira jogar pétalas de flores, mas o simbolismo continua o mesmo.

TROCA DE ALIANÇAS

Alexandre, O Grande, levou a tradição do Egito para a Grécia Antiga, onde começou a usar a aliança no dedo anelar esquerdo, pois acreditava-se que havia uma veia que era conectada ao coração; por isso, os anéis eram imantados, para que os corações dos noivos permanecem  atraídos para sempre.

NOME NA BARRA DO VESTIDO

Ninguém sabe ao certo de onde se originou essa tradição. Existe uma tradição turca de escrever os nomes das amigas solteiras na sola do sapato da noiva, para que elas também subam ao altar. 

Aqui no Brasil, a tradição é escrever o nome das amigas na barra do vestido e, para isso, existem várias maneiras. Desde escrever na fita de cetim azul, que é a cor de sorte da noiva até  colocar medalhinhas de Santo Antônio ao lado do nome de cada uma. Aqui, o que vale é usar a imaginação. 

Dentre tantas tradições, sejam elas tipicamente brasileiras ou vindas de outros países, é inegável que esses rituais sejam eles divertidos ou românticos, fazem do casamento uma celebração inesquecível e atemporal. Quais tradições não podem faltar no seu casamento?

O atendimento é realizado com agendamento prévio

segunda à sexta-feira, das 11h às 18h.
sábados, das 9h às 14h.

Eai, gostou dos modelos 2020 da marca? Vem conhecer a coleção completa e se apaixonar!

Agende seu horário.

Unidades Casamarela:

São Paulo: Rua Peixoto Gomide, 1801 – Jardim Paulistano, São Paulo (11) 3061-0239
Campinas: R. Maria Monteiro, 54 – Cambuí, Campinas – SP (19) 3254-4091
Piracicaba: R. Boa Morte, 1984 – Centro, Piracicaba – SP (19) 3413-5879